Thursday, November 11, 2010

O mal-humorado tem o seu valor.

Aviso inicial: meu teclado nao esta configurado em portugues, portanto nao me encham o saco por eu nao escrever de maneira correta.

Inspirada por Larry David resolvi criar esse blog. Se eu pudesse, colocaria uma micro-camera na minha cabeca gravando o que acontece no meu dia-a-dia (essa porra de hifen ainda existe ou nao? Caralho!). Acho que assim eu poderia explicar melhor de onde vem meu mau humor (que desde 2009 se tornou bilingue e internacionalmente conhecido). Mas eu descobri que o mau humor eh uma coisa boa e deixa a vida divertida (a dos outros, eh claro). O dificil e explicar isso pra quem convive conosco. Se eu fosse uma pessoa alegre, de bem com a vida, que escrevesse tudo em italico rosa com estrelinhas e carinhas, que visse as coisas de maneira positiva o ridiculo nao me aconteceria tao frequentemente e as pessoas ao meu redor nao teriam motivos pra conviver comigo, afinal gente boazinha tem aos montes. Eu seria apenas mais uma qualquer, no meio da multidao, sem nenhum valor. Quer um exemplo disso? Me responda: ao longo dos ultimos 2 anos, quantas pessoas passaram por voce e te deram aquele "oi" com um sorriso enorme estampado na cara? No mesmo periodo de tempo quantas pessoas te mandaram tomar no cu? Viu so! Ser mal-humorado eh ser inesquecivel, a gente deixa marcas por onde passa.
As pessoas geralmente nao gostam dos irritadinhos porque nao enxergam que neles ha um verdadeiro palhaco, um idiota 24 horas a postos esperando a oportunidade de fazer alguem rir. Deve haver alguma pesquisa cientifica em algum lugar do mundo que prove que o mau humor eh um grande aliado das situacoes vexatorias. Como por exemplo o dia em que eu estava cozinhando e fiquei puta (sabe-se la com o que) e atirei a colher de pau em cima da pia e esta voltou, quase que instantaneamente, na minha cara, bem no meio do nariz. Nem Chaplin faria melhor. Ou o dia que eu estava no metro em Sao Paulo com 2 malas e pedi ajuda a um guardinha para carrega-las ate a escada rolante e ele respondeu docemente "eu tenho mais o que fazer". Eu entao, bem brava, enfiei o ticket na na catraca e fui com tudo tentar passar na roleta bufando e xingando, mas a catraca que eu tinha enfiado o ticket era a do lado... que vexame! Quase cai de bunda e ate hoje me doi a regiao pelvica so de lembrar do tranco que eu levei.
O mau humor (assim como a homossexualidade) nasceu na Roma antiga. Eu estava em um onibus na Italia, o mundo se acabando em diluvio do lado de fora e um transito infernal. Uma senhora berra para que o motorista pare no proximo ponto, quando o onibus para ela berra de novo "Abre a porta!" (que ja estava aberta, atras dela) o motorista delicadamente responde "Abre o olho, velha!". No mesmo dia fui ate os Correios enviar um postal pra minha mae e perguntei quanto tempo demoraria, mais ou menos, pra chegar ate a metropole de Vargem Grande do Sul, o atendente respondeu "Vou la saber?". Nao tem como negar, tem estressadinho que faz a gente rir.
O estress pode ser hereditario, como eh o meu caso. Esses dias meu pai tentou fazer uma compra online, mas o cartao foi recusado. Apos 3 tentativas falhas ele ja estava vendo tudo vermelho, pegou o cartao e foi ate o banco tirar satisfacao e antes de sair de casa ainda disse a minha mae "vou la esfregar na cara deles quem eh que nao tem credito", 15 minutos depois ele voltou pra casa com um sorrisinho amarelo no rosto e o cartao na mao "esse aqui eh o de debito, hehe".
A piada vem da real desgraca de alguem e isso eh fato comprovado, ninguem faz piada do que eh bom. Esses dias li na internet uma materia de capa da Gazeta do Acre (isso existe) que um drogado estuprou uma senhora de 93 anos pensando ser a Julia Roberts. Isso eh triste? Muito! Mas foi engracado? Pra caralho. Principalmente quando uma amiga minha (que tambem eh bem irritadinha) perguntou "E ela reclamou? Que audacia.".
Acho que os depressivos deveriam tentar outros metodos de cura, as palestras/videos motivacionais como, por exemplo, o famoso Filtro Solar traduzido e narrado por Pedro Bial dificilmente causam o efeito esperado. Ta, tudo bem... a pessoa se sente feliz e inspirada a mudar o mundo por 5 minutos, mas depois disso ela lembra que a vida eh uma merda e vai tudo por agua abaixo. Porem, ouvir umas verdades narradas por um estressadinho como o Rafinha Bastos pode trazer muitos beneficios. Com certeza vai te fazer rir muito mais e em nenhum momento ele te engana dizendo "eh, a vida eh boa... vai que voce consegue".
Voces realmente acham que todo esse lixo que passa na TV como o BBB e A fazenda faz sucesso porque as pessoas gostam de ver a intimidade dos outros? Eh nada! Eh porque sai briga la dentro. E vale ressaltar que o mau humor tambem promove as pessoas. Vide Geyse Arruda que ficou famosa porque foi esculachada na Uniban.
Pra finalizar, gostaria de lancar aqui uma campanha: Adote um mal-humorado! Ele pode te fazer muito feliz.
Beijo da chata!

5 comments:

Zambrotta said...

Caraca eu sou esse ai...os apelidos mais comuns para mim são Zangado "com 1,85" já da pra saber q não é por causa do tamanho; Materrazi zagueiro da seleção da Italia q deu uma chifrada no Zidanne entre outros... e ser chato é legal vamo lançar uma campanha?

Cris Veiga said...

bah, sou mega mau-humorada tb hahahahaha! To contigo! bj

Allan said...

E não, o hífen de dia a dia não existe mais. :DDDD

Edu Giansante said...

sensacional line. gostei muito. eu sou um dos pudims que dá bom dia e é esquecido, mas uma vez pudim, pra sempre pudim.

vc é aquela que faz parte do grupo pra semear a discórdia e ser lembrada, por isso gosto de voce! :)

Jammilly Harimoto said...

hahahaha...já te adotei chatinha!

Já te conheço do edublin e concordo com o Edu :P
Este seu primeiro post tá muito show de bola, ri pra caramba!!!

Bjs e queremos mais posts! :D